Missão Extrema: “Madeira!”

No segundo e mais polêmico episódio de Missão Extrema, saí contrariada de casa para me unir a um grupo de extratores legais de madeira. Sabia que eles tinham certificação ambiental (do IBAMA) para trabalhar no meio da floresta amazônica, mas mesmo assim não gostei da ideia de ir pra lá cortar árvores. Só que quando cheguei na Amazônia, tudo mudou…

A comunidade da Vila Arimum vive da floresta e o “Projeto Massaranduba” realiza o manejo comunitário de madeira beneficiando hoje 48 famílias. A implementação e regularização do projeto é uma grande vitória local, pois viabilizou o uso sustentável da floresta, garantindo renda para as futuras gerações.

Esses extratores estariam depredando a floresta amazônica como tantos outros extratores ilegais o fazem agora, se não fosse pelo fato de terem se tornado protetores da floresta, especialistas em árvores e pessoas que sabem o que estão fazendo na área do manejo.

Há um grande estudo da área de corte que reduz o impacto ambiental no qual além destes trabalhadores se utilizarem de técnicas de corte com a motosserra visando obter menor desperdício possível da tora que deve ser cortada a no máximo, 30cm do solo, também fazem oficinas para aproveitar as sobras da madeira. Para haver tempo de recuperação da floresta, cada UPA é explorada dentro de milhares de hectares, com um intervalo de 35 anos!

Ou seja, a floresta acaba se beneficiando de um trabalho assim, já que esses próprios trabalhadores locais defendem a importância de mantê-la intacta e denunciam os extratores ilegais pro IBAMA (que agora é seu aliado e também empregador). Esse manejo se torna sustentável pois abre uma clareira de luz no meio da floresta quando há um derrube, favorecendo o crescimento de novas plantas e mais árvores no próprio local, me explicou o biólogo do IBAMA que autorizou nossa filmagem por lá.

Nesta missão, tive que enfrentar altas temperaturas ao abrir caminho na mata fechada utilizando o facão e carregando equipamentos pesados. Tudo isso, em busca de árvores imponentes que exigem muito esforço e técnica para serem derrubadas. Eu e meus companheiros tivemos também que nos virar sem abrigos apropriados, comida ou água. Montar o acampamento improvisado a partir do zero com elementos da própria floresta, caçar e pescar foram sem dúvida, tarefas árduas! Tudo isso, com cobras venenosas e outros animais, tais como onças e tarântulas, à espreita, sendo a clínica mais próxima à horas de distância.

Mas o maior desafio foi operar a motosserra. No dia da extração, tive que encarar o “Angelim vermelho”, espécie mais desafiadora de árvore por ter o maior porte e altura da região alcançando até 45 metros de altura e 3 metros de diâmetro. Neste trabalho, tive que lidar com a força física, o barulho e o fato de estar com o corpo coberto de serragem. Cortar uma árvore dessas sem ter nenhuma experiência prévia com o uso da motoserra foi loucura, passei apertado e achei que não fosse conseguir mesmo!!!

A lição que fica deste episódio é a admiração que senti por esses trabalhadores que conhecem a Amazônia melhor do que ninguém, vivem naquelas florestas como se fossem suas casas (e são!) , têm garra, determinação e força para ganharem suas vidas. E agora de maneira não predatória e certificada!

Já que todos nós utilizamos madeira, que seja da melhor maneira possível e por pessoas que amam e respeitam o crescimento e a regeneração natural da floresta! 😉

Missão Extrema com Karina Oliani
“Madeira, dia 03/05 às 21:30 no Discovery”

About the Author

By Karina / Administrator on maio 02, 2015

Comments (6)

  • Alessandro

    Parabéns pelo programa, virei fã, adorei a ideia sou gestor ambiental acho muito legal essa idéia.

  • Bruno

    Olá Karina, sou fã do seu programa no Discovery e queria te dar uma dica de aventura. Todos os anos participo de um passeio de moto pelos lençóis maranhenses, tem de tudo que o programa gosta, paraíso incríveis e muita aventura, qualquer coisa segue meu e-Mail para mais informações.

  • Daniel Anjos

    Parabéns, você vivenciou a realidade das comunidades espalhadas por essa imensa amazônia. Você sim pode falar da amazônia pois já enfrentou suas adversidades e sabe como seu povo sofrido, mas feliz, vive em sua simplicidade. Parabéns pela sua coragem! Poucos vivem o que muitos só falam!

  • Emanoel Pinheiro

    Karina, parabéns pelo “Missão Extrema: “Madeira!”” de domingo. Acompanho sempre suas aventuras e realmente aqui no Pará você foi guerreira. Foi não! você realmente é guerreira. Falo isso pois sou técnico florestal aqui no Pará e meu trabalho sempre foi em extrações de madeira em áreas de manejo florestal em escala industrial e comunitário em toda Amazônia. Sei bem a realidade dos povos comunitários que vivem da extração de madeira aqui na região. Parabenizo também, os 3 manejadores que mesmo sem uma estrutura adequada fazem suas atividades se preocupando com as gerações futuras que também precisarão manejar a floresta pra sua sobrevivência. Você realmente mostrou nesse episódio quem realmente cuida de nossas florestas, quem realmente esta preocupado com o futuro da Amazônia.

    Grande abraço e volte a fazer outros episódios aqui nessa Amazônia linda que poucos conhecem de verdade.

    parabéns!

  • Arthur Reis

    Karina, Parabéns pelos projetos e trajetória de vida, ver todas estas aventuras, e o que é ainda mais bonito com grandes propósitos atras, é realmente inspirador e expande nossos horizontes. Valeu!

  • Vanderlei

    Olá,já fui extrator ilegal de madeira e sei bem o que vc passou.Mas quando se vive diariamente nesta vida,fica comum e corriqueiro.Hoje sou motorista de caminhão e as motosserras,silenciadas em um canto…Não curto muito manejo de floresta nativa,pois hoje em dia existem maneiras menos predatórias,como o plantio de madeira reflorestada,como as indústrias de papel,fósforos e outros o fazem aqui no sudeste e no sul do Brasil.Mas pelo menos,isso aí já é um bom começo.Abraços!

Leave a Reply